quarta-feira, 30 de maio de 2012

VAI UM CAFEZINHO AÍ?



Para aqueles dias de inverno que é difícil até de tirar a mão do bolso, nada melhor que um cafezinho para esquentar. Experimente opções diferentes no seu dia-a-dia.


















 

Dê  um novo sabor ao seu cafezinho. Experimente preparar esta maravilhosa receita de Café de Inverno com Passas, com certeza você vai se impressionar com o sabor delicioso desta combinação.

 

Ingredientes

  • 2 colheres (chá) de amido de milho
  • 2 xícaras (chá) de leite de soja
  • 1 colher (sopa) de achocolatado em pó
  • 1 colher (chá) de cardamomo em pó
  • meia xícara (chá) de frutas cristalizadas
  • 2 xícaras (chá) de Café Forte
  • 1 caixinha de creme de leite light (200g)
  • açúcar a gosto

Modo de Preparo

  • Dissolva o amido no leite de soja,  o achocolatado, o cardamomo e as frutas cristalizadas. Leve ao fogo, mexendo sempre até ferver e misture o café. Desligue e acrescente o creme de leite. Sirva em canecas e adoce a gosto.
Pronto! Agora, basta saborear esta delícia receita de Café de Inverno com Passas.


terça-feira, 29 de maio de 2012

A REVOLUÇÃO DO BIQUINI



 Convido você a voltar no tempo e descobrir a origem desta “bomba anatômica”. Confira também personalidades que tiveram participação na trajetória desta invenção .


Em 20 de maio de 1946, o artista francês Louis Reard presenteava as mulheres (para gáudio dos homens) com o menor traje de banho do mundo.

Reard batizou-o de biquíni, nome do pequeno atol onde, um dia antes, os Estados Unidos realizaram uma série de testes nucleares.

A modelo francesa Micheline Bernardini estreou a peça. Era toda em algodão e provocou um escândalo na sociedade da época. Um jornal europeu definiu-o como “quatro triângulos de nada”.


Em 1956, a atriz Brigitte Bardot imortalizou o biquini, ao usá-lo no filme “E Deus Criou a Mulher”. Era em xadrez vichy, adornado com babadinhos.




No Brasil, quem revolucionou o uso biquini foi Leila Diniz  que escandalizou a sociedade. Até então a mulher tinha vergonha de exibir a sua gravidez, disfarçando-a em roupas recatadas até o nono mês. Uma grávida dentro de um biquíni era inconcebível. Mas Leila Diniz ousou, e a partir dela, virou moda a mulher grávida usar biquíni e ir à praia.
 

Hoje, as mulheres podem escolher entre o maiô, o fio-dental, a tanga e outras opções mais ousadas para irem à praia... mas se preferirem, podem optar pelo burkini...rsrs















quinta-feira, 24 de maio de 2012

BELEZA



                                        Experimentei e aprovei!





Mint Bliss da Mary Kay é uma loção energizante, com fórmula refrescante à base de menta que deixa os pés e pernas com uma maciez inacreditável, além de aliviar o cansaço Mint Bliss contém ingredientes especiais que deixam os pés com uma sensação refrescante e sem contar o cheirinho maravilhoso. Uma ótima opção para aquele dia longo de trabalho, para as gestantes que sempre reclamam de cansaço nos pés ou até mesmo quando estiver no salão.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

CULINÁRIA - GALINHA LOUCA _ALMOÇO DE DOMINGÃO



Meninas, experimentei, amei e vou passar a receitinha


Galinha Louca (Almoço de Domingão)

 
INGREDIENTES
- 1 kg de frango cortado a passarinho - suco de 1 limão - 1 colher (sopa) de tomilho picado - sal e pimenta-do-reino a gosto - 1/4 xícara (chá) de azeite - 4 dentes de alho picados - 3 xícaras (chá) de arroz parboilizado - 300 g de feijão branco pré-cozido - 1 xícara (chá) de quirera de milho - 1 colher (sopa) de açafrão em pó (curcuma) - 1 cebola grande cortada em 8 partes e aberta em pétalas - 1 pimentão vermelho grande cortado em cubos grandes - 100 g de vagem cortada em 4 partes - 1/4 de repolho branco cortado grosseiramente - 3 tabletes de caldo de galinha dissolvidos em 5 xícaras (chá) de água fervente - sal a gosto
MODO DE PREPARO
1 - Numa tigela, tempere o de frango cortado a passarinho com suco de limão, tomilho picado, sal e pimenta-do-reino a gosto. Leve à geladeira e reserve por no mínimo 1 hora. 2 - Numa panela de pressão com azeite, doure o frango temperado (que foi reservado acima) e em seguida doure o alho picado. Acrescente arroz parboilizado, feijão branco pré-cozido, quirera de milho e açafrão em pó (curcuma). Mexa bem para refogar o arroz. 3 - Neste momento, junte a cebola cortada em 8 partes e aberta em pétalas, pimentão vermelho grande cortado em cubos grandes, vagem cortada em 4 partes e repolho branco cortado grosseiramente e mexa novamente apenas para envolver os ingredientes. 4 - Acrescente caldo de galinha dissolvido em água fervente e acerte o sal. Tampe a panela e, assim que pegar pressão, conte exatos 6 minutos. Desligue o fogo e deixe a panela tampada por mais 5 minutos. Ao acabar este tempo, retire o restante da pressão. 5 - Abra a panela e mexa a galinhada, coloque em uma travessa e sirva imediatamente.

COMPORTAMENTO

                       


                  FORMANDO NOSSOS POLÍTICOS

Muito se tem falado da integridade de nossos políticos, da honestidade e caráter do homem atual. É muito triste ligarmos a TV e depararmos com tanta notícia de corrupção envolvendo àqueles que deveriam ser exemplos e estar comprometidos com a construção de um futuro melhor para o nosso País. Fico pensando o "por quê" de tanta falta de direção, de tanta ganancia e inversão de valores. Onde erramos? 

Aquelas que são da minha geração provavelmente se lembram das regras de nossas escolas, ainda na época do regime militar. Logo na chegada, ficávamos em filas no pátio onde cantávamos o HINO NACIONAL BRASILEIRO, seguido pelo HINO DA BANDEIRA e por fim, nossas orações. Em nossas disciplinas eram introduzidas EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA e posteriormente, OSPB (Organização Social e Política do Brasil ).
  1. “Esta disciplina tem como finalidade proporcionar ao aluno uma ideia adequada da realidade
    sócio-cultural brasileira em sua forma e ingredientes básicos. Deverá, pois
    apresentar o quadro geral das instituições da sociedade brasileira, sua
    natureza, formação e caráter, bem como as formas de vida e costumes que definem
    o modo de ser específico e a fisionomia característica de nossa cultura. Será
    além disso, um estudo da organização do Estado brasileiro, da Constituição, dos
    poderes da República, do mecanismo jurídico e administrativo em suas linhas
    gerais, dos processos democráticos, dos direitos políticos, dos deveres do
    cidadão, suas obrigações civis e militares.”

Sei que da era militar, muitos não querem nem lembrar. Mas este é na minha opinião um  bom exemplo a ser seguido. 
Que requisitos são necessários para capacitar um político? Como são preparados esses homens? Imagino que aprender a amar a pátria deveria ser o primeiro requisito. Sinto a ausência hoje de uma educação comprometida com a formação cívica dos estudantes brasileiros preparando-os para o exercício consciente da cidadania democrática. 
Esta preparação deveria ser introduzida nas escolas. Precisamos ensinar nossos jovens a amar e respeitar nosso país, respeitar nossos professores, respeitar os pais e ao próximo. Existe toda uma hierarquia que deve se lembrada e respeitada. Liberdade é um direito maravilhoso, mas precisamos ter disciplina, sem ela, a liberdade de nada servirá.Um povo precisa de um líder e leis severas, pois somos corruptíveis por natureza e sabemos que a miscigenação e nossos colonizadores deixaram uma grande herança que compromete nossa cultura e costumes, mas podemos buscar uma mudança, mesmo que pequena, já representaria um bom começo.

Normalmente não me envolvo em assuntos sobre política, não sou entendedora, mas também não sou nenhuma alienada, como cidadã, procuro me inteirar das questões que comprometem o futuro de nosso País. Entretanto,será que falei alguma bobagem!?




sábado, 19 de maio de 2012

SAÚDE - HISTERECTOMIA



Quero compartilhar com  vocês minha experiência com a histerectomia.



* HISTERECTOMIA: A histerectomia é uma operação cirúrgica da área ginecológica que consiste na retirada do útero. A histerectomia pode ser total, quando se retira o corpo e o colo do útero, ou subtotal, quando só o corpo é retirado. Às vezes esta cirurgia é acompanhada da retirada dos ovários e trompas.


                       


 

Este procedimento é feito para muitas condições além do câncer, incluindo o sangramento uterino disfuncional(endometriose); crescimentos não-malignos do útero, cérvix e anexos; problemas de relaxamento pélvico e prolapso; e dano irreparável ao útero. As condições malignas requerem uma histerectomia abdominal total e uma salpingooforectomia bilateral.

  

                                                    Minha Experiência

Depois de anos à fio, passando por aqueles "tira-não-tira" das amigas, resolvi enfrentar meus medos e encarar a cirurgia. Não suportava mais aquela situação, 15 dias de menstruação, sendo que o primeiro ficava de cama, seguidos por mais uns 10 de respaldos, ( Aquela borrinha escura ). Mal acabava este martírio e já estava entrando na TPM outra vez... e que TPM!!! Quase me matava, sem contar que já estava com princípios de anemia.

 

Chegado o dia, segui para o hospital com uma sensação entranha entre alívio e angustia. A angustia talvez se devesse ao fato de não poder mais gerar filhos, ( mesmo tendo ligado as trompas no último parto ), na verdade, acho que era a "ficha caindo" quanto a idade...sei lá! 

 

Depois de me internar, foi conduzida para sala de espera  onde trouquei a roupa e fiquei alí isoladas por umas 2 horas. - Ai meu Deus que aflição aquilo! Custei para tomar coragem, fui quase por impulso e agora fico alí... com tempo e condições para pensar melhor no assunto...Procurei me concentrar nas vantagens e na nova vida que estava por vir.

 

 Chegado enfim, o momento, meu médico me conduziu até a sala de cirurgia onde já nos aguardavam outros especialistas.

O procedimento indicado no meu caso, foi a remoção do útero através de um corte no baixo abdômen, no mesmo lugar das 3 cesarianas a que me submeti nos 3 partos.

Fiquei pensando em cada etapa: - colocar soro, anestesia...ah a anestesia... não quero nem ver... ufa! venci esta primeira etapa, graças à Deus!

 Os médicos conversavam animados entre eles e eu meio "grogue", tentava entender o quê exatamente estava fazendo ali. 

Enquanto realizavam os procedimentos iam me informando passo a passo e com o efeito da anestesia, acabei por fazer umas piadinhas...acho que tentando me convencer que estava "tirando de letra", rsrsrs. Terminado os procedimentos, me colocaram de "molho" novamente em outra sala, onde fiquei em observação por volta de 1 hora. 

 

Finalmente me conduziram para o quarto. A primeira noite foi muito tranquila e no dia seguinte estava ótima, recebendo minhas visitas normalmente e de pé. Durante o dia, meu médico prescreveu luftal e dulcolax para que meu intestino funcionasse e não fabricasse gases. O efeito foi péssimo, tive muitos gases e como inflou a barriga passei a sentir muitas dores. Acabei por ficar um dia mais que o previsto no hospital. No terceiro dia recebi alta, mas ainda sentia dores... na verdade só comecei a me recuperar 22 dias depois. Não quero assustá-las, queridas amigas, até mesmo porque sei de pessoas que passaram pela mesma cirurgia e a recuperação foi bem menos dolorosa. "Cada caso é um caso".

 

Depois de 4 meses fiquei extremamente satisfeita e aliviada, comecei a me sentir animada, cheia de energia e com ótimo astral, sem contar a ausência da menstruação, que é tudo de bom!. 

 

Treis anos se passaram, ainda tenho TPM e ovulação pois não retirei os ovários e ainda não entrei na menopausa. As vezes,  sinto cólicas e imagino que seria o dia em que normalmente ficaria menstruada. Quando faço muito esforço físico sinto dores abdominais, como se não estivesse me recuperado totalmente, mas nada que um analgésico não resolva.  Esporadicamente ainda tenho aquela "borrinha" escura, mas nada se compara ao estado anterior.

Sexualmente não senti nenhuma alteração.

Estou feliz por ter tomado a decisão certa e espero poder ajudá-las a esclarecer suas dúvidas.

 

Se você já viveu esta experiência, compartilhe aqui, pois assim poderemos ajudar outras mulheres a se decidirem ou esclarecer dúvidas sobre o pós cirurgia.

Para acrescentar:

Na maioria dos casos, o diagnóstico clínico-ginecológico da endometriose é suficiente, permite iniciar o tratamento e manter o acompanhamento da mulher a fim de avaliar a resposta terapêutica. Saiba mais:http://www.blog.saude.gov.br/h3gmnf ‪#‎SaúdedaMulher‬

 

Um grande abraço!

 Anete Carvalho


 OBS: VEJA TAMBÉM: MENOPAUSA, E AGORA??

http://blogdascinquentonas.blogspot.com.br/2015/03/menopausa-e-agora.html

sábado, 12 de maio de 2012

APOSTE NOS LENÇOS NESTE FRIOZINHO

                            

A estação mais charmosa do ano está chegando e com ela os lenços que entre outros detalhes que agregam elegancia ao seu estilo, dão o ar de graça às peças. Escolha o seu!  

 

 

 

 

                        40 MANEIRAS DE USAR SEU LENÇO!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

HOMENAGEMS ÀS NOSSAS MÃES



   Este espaço é para homenagearmos àquela que com seus exemplos, nos ensinou tudo que sabemos.
Para homenagear a minha mãe, vou tentar contar, um pouco, da história de vida dela. Se você quiser homenagear  sua mãe neste espaço, me envie texto ou foto que publicarei com prazer. 
( anetecarvalhoprod@gmail.com )


                                    SIMPLESMENTE MARIA


    Ela não é uma Maria qualquer... talvez uma "Maria vai com as outras"... Vai com as outras que assim como ela usaram de fé e sabedoria divina para sobreviver e criar seus filhos. A Maria que descrevo neste texto é mais uma heroína entre tantas "Marias" que conhecemos e admiramos.
   
   MARIA JOSÉ, casou-se aos quatorze anos com Lucas Tomaz, ele aos dezoito anos, na cidade de Dores do Indaiá, interior de MG. A vida simples e trabalhosa veio acompanhada dos hábitos de Lucas em reunir os amigos para noites enfiadas de truco, regadas à muita bebida e galinhadas  que ele exigia que Maria cozinhasse para os companheiros madrugada à dentro; O que ela, humildemente, obedecia. 
  
  Logo vieram os primeiros dos 12 filhos e, com eles, as dificuldades. Lucas acreditava que viver bem era viver e trabalhar na roça e considerava os companheiros de farra, sua família. Os filhos deveriam também, "pegar na enxada" e eram empecilhos, pois atrapalhavam a dedicação exclusiva dela à ele. No entanto, Maria acreditava que os filhos deveriam estudar e buscar uma vida melhor. Assim, foi matriculando, um a um, em escolas na cidade e isso iniciou mais uma desavença entre os dois. Muitas vezes resultava em violência física, contra ela e os filhos. Apesar da violência, ela o servia e nunca reclamava, costumava dizer que estava cumprido sua missão e por isso, servindo à Deus

    A distância entre a fazenda e a cidade era estimada em 10km. Eram muitos filhos e um par de sapatos tinham que servir para muitos. A ponte na entrada da cidade era o ponto de  encontro onde aquele que estudava pela manhã tirava os sapatos para aquele que estudava a tarde, lavar os pés no riacho e calçar.

    Não tinham moradia certa, por vezes eram donos de propriedades e por outras, graças ao prazer que Lucas tinha em ajudar os amigos, perdiam tudo e não tinham nem onde morar, passando a viver e trabalhar em fazendas da região. O  alimento que tinham era o cultivado por ela... frequentemente mudavam de um lugar para outro mas ela, em silencio, formava a horta, criava galinhas, engordava porcos e construía o forno de barro com entulhos, sobras de tijolos, e para rebocar, esterco de gado com cinzas. Uma obra-prima!


   
   Em meados de 1970, Lucas descobriu que um "cumpadre" estava morando na cidade de Unaí, no norte de Minas (cerca de 560km de Belo Horizonte), e resolveu mudar-se com a família para cidade. Contratou a mudança com um caminhoneiro que transportava gado e seguia por aquelas bandas. Embarcou com Maria, grávida do décimo terceiro filho (que veio a falecer pouco depois por conta da viagem), seis dos doze filhos, (os outros seis ficaram estudando e trabalhando em Belo Horizonte), um cavalo, um boi premiado que era seu xodó e a "mobília". A viagem foi muito conturbada e se arrastou por dias.
    
   A cidade havia sido fundada há pouco tempo, era inverno e as ruas eram verdadeiros atoleiros de poeira fina e vermelha como "pó de arroz", que encobriam as pernas quase até os joelhos. A primeira parada foi no sítio de um conterrâneo, que acolheu a família temporariamente. Posteriormente foram várias mudanças até a definitiva.
   
   Foi nesta realidade, que ela usou e abusou de sua fé e sabedoria para vencer e ver todos os filhos vivos e bem. Sua principal missão era fazer com que as dificuldades e violências não resultassem em traumas futuros para os filhos. A tática usada por ela foi plantar a união e o amor no coração de cada um, formando assim uma fortaleza inabalável. Lavava roupas pra fora, fazia doces para vender, cuidava da casa e fazia as roupas de toda família usando sobras de retalhos que a filha mais velha, costureira em Belo Horizonte, lhe enviava; Os modelos eram copiados das vitrines das lojas quando vinha à BH visitar os outros filhos.
Tarefas cumpridas e ainda encontrava tempo para fazer bonecas de pano, vacas de mamonas, pioras, piões, recortes de papel, entre outras brincadeiras. 
As vezes faltava alimentos e para distrair os filhos quando a fome apertava usava a criatividade e fazia de um ovo um verdadeiro banquete! Juntava os filhos ao seu redor e em um prato " esmaltado", batia a clara em neve até atingir uma consistência que, virando o prato para baixo, não caia o conteúdo. Essa "guloseima" foi batizada "paque-paque" levando em conta o som tirado pelo atrito entre o garfo e o prato. A criançada vibrava com o espetáculo e não percebia a intenção da mãe em "despistar "a fome. Em seguida, acrescentava-se açúcar e farinha, qualquer uma, a que tivesse, e dava as "garfadas" na boca de cada um. Durante todo este processo ela aproveitava a quietude da turma para contar histórias que resultavam em sucessos aflorando assim a esperança e o desejo de lutar no coração de cada um.
        
    Após todos filhos voltarem para Belo Horizonte acolhidos pelos mais velhos,o casal acabou retornando  também. O exemplo dela, foi fundamental para a construção de pessoas íntegras e vencedoras.

   Seu marido faleceu há 6 anos, cuidado por ela e os filhos até o último momento. Ela, hoje aos seus 88 anos, com marca-passo no coração, mas com os cabelos negros naturais, ainda dirige nossa família. Maria não construiu nenhum patrimônio, mas comemora a vitória e a certeza de dever cumprido, celebrada pela grande família com os 12 filhos 34 netos 16 bisnetos e 1 tataraneto. Essa família é, com certeza, fruto de seu investimento e sua melhor recompensa!
Seu exemplo, com certeza, passará por muitas gerações!
Obrigada,mamãe!!!

 Olha ela aí com seus 12 filhos!
 
  

 Luz na passarela que lá vem ela!





                             


quarta-feira, 9 de maio de 2012

MODA



Bem amigas! Para começarmos a falar de moda é muito importante definir o nosso perfil. Acho que o estilo da socialite TEREZA COLLOR ilustra muito bem a elegância e o bom censo que devemos observar na nossa  idade. Embora na maioria das vezes, acho que ela exagera nos acessórios e fica parecendo uma árvore de natal, sempre acerta na postura usando peças apropriadas, que disfarçam as gordurinhas e outros "desagrados" comuns a essa altura. Certamente nenhuma de nós quer correr o rico de desfilar por aí com um visual  "á la SUZANA VIEIRA", não é mesmo? Afinal, vestidos curtíssimos e justos e decotes axagerados não são sinônimos de sensualidade, podemos arrasar com muito charme sem apelações.


 
 Este look é um ótimo exemplo, ela optou por uma cor que remete à sensualidade, um modelo com detalhe  que realça a cintura e que disfarça os quadris. Reparem a pashmina...provavelmente para disfarçar as gordurinhas das costas. Linda e elegante, arrasou!!!



 Look básico, mas muito alinhado. Blusa em cor alegre e com detalhes que dão um ar de sofisticação. Calça preta é sempre um coringa e emagrece... o corte reto disfarça os quadris. Bolsa, óculos e brincos de argolas. Precisa de mais alguma coisa?




 Este look fecha nosso perfil.Tomara-que-caia, sempre justo na cintura e soltinho da cintura para baixo disfarçando a barriguinha, ( se tiver ) e os quadris. Detalhe para fechamento nas costas, mesmo se sair um pouquinho da linha, ainda vai servir.Comprimento super correto.

terça-feira, 8 de maio de 2012

COMPORTAMENTO



Bem, meninas! Enquanto preparo um post sobre moda, gostaria de falar sobre um assunto que sempre foi polemico: FEMINISMO. Vou relatar aqui a minha singela opinião, sem pretensão nenhuma de ser " dona da verdade", apenas quero expressar meus pensamentos sobre o assunto e saber a opinião de vocês.

Há um tempo atrás, li um artigo na revista VEJA com o Título: "COM O MUNDO NAS COSTAS", onde as mulheres se queixavam de uma vida sacrificante, frustrante e exaustiva.Não causou-me nenhum espanto tais declarações. pois assim como outros movimentos que ferem o princípio da criação, acabamos exaustas, vazias, com sentimentos de culpa e com um grande desconforto existencial. 

 Toda mudança é bem vinda desde que estudada, avaliada e programada, "TUDO ME E LÍCITO, MAS NEM TUDO ME CONVÉM" ( I Coríntios 6,12 ). Aliás, não sei quanto à vocês, mas eu não me lembro de ter ajudado ou pedido a ninguém que queimasse o soutien a meu favor...( rsrsr ).Na minha opinião, não precisamos que ninguém levante uma bandeira para nos lembrar de nossos talentos e dons. Além do mais, a mulher não precisa competir com os homens Deus já nos deu aquele famoso "sexto sentido", a capacidade de amar incondicionalmente, nos colocou nas mãos a responsabilidade de trazê-los ao mundo e educá-los...que poder, hein amigas!? (rsrsrs ) Precisamos apenas seguir o curso natural.Não me sinto inferior ao homem e também não quero assumir as mesmas responsabilidades que são designadas à eles para tentar provar que sou igual ou melhor, "Cada um no seu quadrado".Não estou tentando dizer de forma alguma que não devemos trabalhar e lutar pelo sucesso profissional, claro que devemos! Mas a excelência da mulher está muito além de uma carreira de sucesso ou de um corpo escultural, está no simples gesto de abrir uma janela pela manhã deixando a brisa fresca invadir o nosso lar e exalar o cheirinho do café, nas orações em que entregamos e pedimos bençãos para nossa família, no apoio, companheirismo e segurança que transmitimos aos nossos maridos e está no poder a nos atribuido de influenciar na formação de caráter de nossos filhos. Aí sim, podemos ensinar aos nossos filhos a respeitarem e reconhecerem o real direito das mulheres e ter responsabilidades com a humanidade. Sabemos que a mulher é  quem determina o clima dentro de seu lar, o sucesso da família, depente inteiramente de nós. Nossa força não está nos músculos ou no cargo que assumimos em uma empresa e sim na sabedoria, “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola derruba com as suas próprias mãos.” ( Provérbios 14:1 )


Recebi uma mensagem sobre a evolução das composições das músicas para as mulheres desde "As rosas não falam", as canções de Roberto Carlos..." Boquinha da garrafa e a assustadora "Só as cachorras"! Onde as próprias mulheres respondem com o refrão: Uhu! Uhu! E por aí vai... Aparentemente a idéia de "direitos iguais" não foi bem compreendida por algumas e com isto hoje são tão vulgarizadas.
Quando saímos do curso natural, pelo qual fomos criadas, modificamos o resultado e o mistério da vida.Acabamos por voltar ao primeiro estágio e exaustas por não alcançarmos nenhum resultado satisfatório.

Por estas e por outras, não abro mão de deixar o homem pagar a conta nos restaurantes, abrir a porta do carro, mandar flores, ceder seu lugar...Quero ser paparicada, tratada com delicadeza. Ah, deste direito eu não abro mão!
No lar, somos colaboradoras e não responsáveis pelas despesas domésticas. Sempre fiz questão de dizer aos meus filhos que a hora certa de começar a namorar é aquela em que eles podem pagar as entradas do cinema.

Precisamos resgatar nossos valores sim, mas sem banalizar.
Sugiro que reflitam sobre o assunto e depois comentem, a opinião de cada uma é importante para todas nós.
Um grande abraço a todas!
Anete Carvalho